E tu segues a me inspirar

A brisa que sopra pelo mundo
seca lágrimas e leva saudades;
Sussurra em meu ouvido o seu nome,
e mentiras que queria que fossem verdades.

Faz-me pensar em ti, eu sei,
como jamais outra vez pensei.
E continuarei a pensar,
enquanto meu peito te amar.

Gritar por ti noite a fora,
chamar seu nome, te buscar.
Olhar o relógio, hora após hora,
E ver o tempo sim, passar.

Pois a vida não parou por meu sofrer;
Tudo prossegue, continua a correr;
Dia após dia, anoitecer, amanhecer;
Independente se estou sem você.

E eu lembro bem do seu sorriso,
do brilho que irradiava ao falar.
E de que brigaria com o mundo
só pra não te ver chorar.

Hoje se chora, já não sei.
Já não posso mais lhe consolar.
Meus beijos já não lhe fazem bem,
nem as palavras que tu segues a me inspirar.

E permaneço aqui com elas,
as únicas que sabem o quanto te sinto,
te quero, te preciso.
E se digo que não, eu minto.

Até para mim mesma,
por de fato ter de continuar.
Aliada da frieza,
que segue a me mascarar.

Mas em meu peito, tão ferido,
ainda há espaço pra esperança
de que um dia, o seu sorriso,
não seja só um sonho distante
Quanto os de uma criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: