Uma carta íntima: palavras sobre mágoas e sobre a beleza da vida

Oi, você! 💓
A carta a seguir foi escrita por mim em um dia reflexivo, após ler um livro muito lindo que falava sobre os percalços que enfrentamos durante nossas caminhadas. Uma história sobre o amor e a dor, a vida; Sobre essa loucura toda que degustamos de modo tão lento e paradoxalmente breve todos os dias! A obra me foi muito significativa, e durante a leitura eu abandonei muitas mágoas antigas que ainda faziam morada em meu coração, graças a sua natureza emocionalmente instrutiva.

Ao fim da mesma teci as palavras a seguir e enviei para algumas pessoas, imensamente importantes para mim e das quais me sentia e sinto distante. Meu peito ficou tão, tão mais leve depois disso! Sei que agora virei essas páginas de uma maneira mais doce e sutil, seja esse meu gesto valorizado ou não.

Bom, creio que o intuito da mensagem ficará óbvio ao desenredar do texto, então uma apresentação prolongada não se faz muito necessária. O conteúdo, apesar de muito intimo para mim, está sendo compartilhado com o objetivo de gerar identificação e conforto aos corações que assim como o meu, sofrem constantemente por mágoas passadas que não só podem, como devem ser amenizadas.
Eu apenas espero que os pensamentos, conclusões e palavras a seguir lhe ajudem de alguma maneira, ok? 🤗
Muitos kisses e fiquem com a cartinha! 😽😽😽


Escrito originalmente em: 15/04/2020.

Cada dia é um novo aprendizado; Cada lágrima que derramo e sorriso que cruza meu rosto me faz crescer e evoluir, pois hoje sei que ambos são necessários. Não só o perfume das rosas, mas também seus espinhos.

 Hoje sei também que por mais que doa de forma impensável dizer adeus a alguém que amamos, isso não significa que a pessoa em questão deixe de existir dentro de nós. Essa certeza me faz seguir em frente, sabendo que todos os  que me marcaram em algum momento sempre estarão acessíveis; Não só por estarem em minhas mais doces lembranças, mas também por viverem dentro do meu coração.

Muitas vezes, sozinha no meu quarto durante a noite, me peguei chorando, abraçando o travesseiro e pensando: "por que as coisas tem de ser assim?"
E a verdade é que adoraria continuar o texto dizendo que hoje encontrei a resposta para tal indagação. Todavia, essa seria uma mentira terrível. Eu ainda não sei o motivo pelo qual certas pessoas foram embora, ou a razão que levou determinados fatos  a transcorrerem de maneiras tão dolorosas.

Mas existe uma lição que aprendi com tudo isso: assim como a felicidade, a tristeza também deve ser sentida. Ela nos ensina a ficar de pé com mais convicção, nos faz lutar com mais força pelo que acreditamos. Nos mostra que o mundo, apesar de cruel, também pode ser belo.
Afinal, é natural que a gente só aprenda a valorizar o calor do sol após conhecer o frio de uma noite tempestuosa.

Se eu estou lhe enviando esse texto, saiba que em algum momento, no vão das coisas que vivemos, falamos e sentimos, eu amei você. Amei e seria capaz de correr até o fim do mundo só para te arrancar um sorriso.

Talvez a nossa relação já não seja tão próxima, devido a erros meus ou teus, pelos quais até nos arrependamos em algum dia. Sei que somos seres humanos, e portanto, falhos e pecadores. Mas estive pensando sobre rostos, nomes e vozes de pessoas que um dia foram capazes de significar o mundo inteiro para mim, e lembrei de você.

Não interprete essas palavras como uma tentativa de reconciliação, justificativa ou pedido de desculpas: elas não são nada disso. Acredito muito no poder do nosso criador, e talvez o lugar onde deveríamos estar hoje é exatamente este, no qual estamos.

Portanto, esta mensagem tem como objetivo, unicamente, lembrar-te de que independentemente de onde eu estiver ou do que me torne, um dia você foi importante para mim, e justamente por isso, ainda é e sempre será de alguma forma.

Também não importa o que ocorreu no passado. As frases mal ditas, ou até mesmo aquelas que nunca tivemos a oportunidade de dizer. Não guardo no meu coração nenhum desejo diferente do que o de saber que você está bem, seja lá onde e como for.

Tenho fé de que  um dia vamos compreender tudo isso, essas voltas que o mundo dá. Espero que ao pensar em mim não sinta nenhuma fisgada de maus sentimentos dentro de ti. E caso sinta, torço para que um dia chegue na mesma conclusão que eu: o mundo é um lugar difícil demais, vazio demais para que nos apeguemos apenas ao mal que recebemos dele. Devemos, sim, saber que ele existe, mas focar, principalmente, nos pequenos milagres da vida que nos são apresentados pelo universo.

Finalizo essa carta com um agradecimento, por todas as coisas que me fez sentir, boas e más. Sei que assim como os sorrisos me encheram de luz, as lágrimas me fizeram entender melhor a minha própria escuridão. Pois sim, acredito que todos nós somos constituídos por bem e mal, luz e sombras, alegria e dor. E isso não nos torna ruins; Nos torna humanos.

Antes de me despedir, quero mostrar-lhe uma linda citação, de uma autora da qual gosto muito. Espero que aprecie  as palavras a seguir, e que elas te façam refletir assim como fizeram a mim.

Há beleza em todos os cantos e em todas as pessoas. Há beleza em quem elogia, mas também em quem ofende. Em quem ajuda e em quem maltrata. Num sorriso e numa lágrima. Em olhares mansos e também nos raivosos. No primeiro choro de um bebê recém-nascido e no último pulsar do coração de um ser. No início e no fim e em cada curva do caminho a vida é bela. Até mesmo na escuridão mais sombria. Ribeiro, Fabiane. A menina feita de espinhos (p. 343).

6 comentários em “Uma carta íntima: palavras sobre mágoas e sobre a beleza da vida”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: